CARNAVAL DE MAQUETE


       

   

Grêmio Recreativo Escola de Samba de Maquete

Fogo no Rabo


Do Reino Da Magia - São Cipriano


Carnavalesco : Adriana Ferrey
Samba utilizado(Escola/Ano) : Adriana Ferrey e Thiago Dantas
Interpréte : Quinho

SINOPSE


Autor(es) : Adriana Ferrey e Thiago Dantas


Autor: Adriana Ferrey e Thiago Dantas
Sinopse: Do Reino da Magia - São Cipriano
Jusficava:
Em virtude do cenário atual onde a intolerância se torna cada vez maior,
principalmente quando falamos de questões religiosas, existe a necessidade de
esclarecer às pessoas sobre determinados assuntos, no caso, a bruxaria, que para
muitos é ligada a satanismo e prácas ocultas. O enredo em questão pretende
explicar às pessoas que dentro de cada religião, sempre, haverá os bons e os maus
devotos, pracantes e seguidores, e que, por muitas vezes vão de um extremo ao
outro, seguindo aquele dogma de forma errônea e por muitas vezes encontrando a
verdade de suas prácas à medida que buscam o conhecimento necessário. O Wicca
(religião pracada por bruxas e feiceiros) aprofunda seus pracantes na arte
elemental, ensinando-lhes a domar energias e forças da natureza. Neste meio, se
destacou um homem, Cipriano, relacionado a magia negra e mal compreendido pela
maioria das pessoas que desconhecem sua história. Através deste enredo. A escola
de samba de maquete, Fogo No Rabo, nos apresenta sua trajetória de vida e mostra
que a bruxaria é mais uma dessas religiões esgmazadas e mal compreendidas, e
que, precisa ter seu devido respeito e reconhecimento como religião tão
benevolente quanto outra qualquer.
Nota: É importante salientar que exisu duas versões da vida do personagem central
deste enredo, em uma destas versões ele se apaixona pela jovem Jusna e em outra
versão, um jovem rico, Aglaide, é quem se apaixona por Jusna e recorre ao Bruxo, o
enredo irá retratar a segunda versão por entendermos que seria mais lógico o mago
ser celibatário, pois era uma práca comum dos oculstas daquela época. É
necessário, também, explicar que outro São Cipriano viveu na mesma época do
personagem deste enredo, este “xará” é chamado pela igreja de “Papa Africano”e
este sim foi canonizado.
Enredo
Era uma noite de lua negra (segunda lua nova no mesmo mês), em meio a
riqueza de sua família devota de deuses pagãos, nascia Cipriano, no ano 250 d.c. na
região da Anoquia, as proximidades da Síria e Arábia. Os pais, então, chamaram um
casal de bruxos para “abençoar” o recém-nascido, pois perceberam que aquela 
/
Livro Abre Alas
criança estava desnada a feitos mágicos, colaborando para essa crença, várias
mariposas adentraram o quarto do bebê e uma delas pousou sobre sua testa, assim,
já nos primeiros momentos de vida, Cipriano demonstrava que seria uma referência
às artes míscas de seu tempo; o reino da magia estava em festa com a chegada do
misterioso menino. Antes de completar 1 ano de vida, a criança foi consagrada ao
Boi Ápis um dos muitos deuses pagãos que sua família venerava.
Desde de muito jovem, Cipriano foi iniciado aos estudos míscos, ao
completar 30 anos, paru em uma longa viagem pela Europa, África e Ásia com o
intuito de aprimorar seus conhecimentos. Na Anatólia aprendeu sobre tarot e
vidência cigana, na Grécia se deslumbrou com as previsões do Oráculo de Delfos,
buscando o conhecimento de alquimia, chegou até a China, aprendeu rituais de
sacricios com navos da Angola, conheceu as fragrâncias e especiarias da Índia,
desvendou os segredos das runas nórdicas, aprendeu o ritual do café das arábias
para prever o futuro e se fascinou com os contos egípcios sobre o olho de Hórus
assim como toda a cultura do povo do deserto. Na Babilônia aprimorou seu
conhecimento de astrologia e encontrou sua mentora, a bruxa Évora, que
apresentou ao jovem a cultura oculsta dos Caldeus. Com a morte de Évora, o mago
herda seus manuscritos de magia e compila no que mais tarde se tornaria seu mais
renomado livro de feiços. Aprimorado na magia negra, Cipriano faz um pacto com o
proprio demônios e outras criaturas malignas, vislumbrou os portões do inferno e
suas criaturas demoníacas antes de fundar a evocação da cabra-preta, desvirtuou
seus conhecimentos mágicos por forças ocultas, em uma forma errada de trilhar os
caminhos míscos e se transformou em um mago de nome respeitado em sua
época.
Viveu cercado de fama e seus poderes atravessaram fronteiras e chegaram aos
ouvidos de um jovem de posses chamado, Aglaide que por sua vez, nutria uma
paixão platônica pela jovem Jusna, que apesar do consenmento de seus pais,
negou-se ao matrimônio com o rico homem e preferiu dedicar sua vida ao
crisanismo. Aglaide Recorreu a Cipriano para tentar conquistar a donzela, O bruxo,
fez sacricios, conjurações, poções e outras armanhas maléficas para realizar o
desejo do moço apaixonado, em uma úlma tentava, fez um pó de vidro mágico,
com o intuito de ver além de sua visão mortal e assim descobrir qual feiço poderia
ser mais poderoso que os seus demônios, foi quando Cipriano viu o anjo Custódio
comandando outros arcanjos e querubins em torno da donzela. Cipriano então clama
por Satã e este surge para explicar que contra as forças divinas não poderia fazer
nada e exigiu que o mago se juntasse a ele. O feiceiro então invocou nosso Senhor
para lhe salvar e neste momento o diabo sumiu. O ex-bruxo procurou Jusna e um
ango amigo, Eusébio, e estes o levou a um mosteiro, assim o convertendo ao
crisanismo, dedicou-se às forças da luz da mesma forma que dedicava-se às forças
ocultas, rapidamente chegou aos cargos mais altos, ao lado da moça, converteram
outros mais e operaram milagres. Naquela época o crisanismo não era uma religião
bem vista pelos romanos e a nocia da conversão do bruxo não agradou o imperador
Diocleciano, que mandou prender a donzela e o recém-converdo. 
/
Livro Abre Alas
É iniciado o marrio de Cipriano juntamente a Jusna, foram perseguidos e
condenados a serem açoitados em praça pública, passaram fome e frio, e até
mergulhados em óleo fervente foram, na tentava vã de atormentá-los, mas, o casal
permanecia sereno, e apesar de todas as forma de torturas terem sidos invesda,
nada machucava a pele dos márres. Por Fim , Diocleciano ordenou a decapitação
de Cipriano e Jusna às margens do Rio Galo, no território da Nicomédia e deixaram
seus corpos à mostra por 6 dias para quem quisesse vê-los, entretanto, não
apodreceram e nem moscas pousaram sobre os cadáveres. Devotos cristãos então
recolheram seus corpos e os levaram para Roma e organizaram um enterro decente
seguindo suas crenças. No mandato de Constanne seus restos mortais foram
levados para a Basílica de São João Latrão, transformando-os em márres católicos.
Muito se discute sobre os livros de São Cipriano, pois sabe-se que boa parte
de seus manuscritos foram queimadas por ele próprio após sua conversão, mas a
lenda do bruxo atravessou gerações, e inspirou outras histórias míscas, è cultuado
principalmente na Wicca.
No Brasil, a sua figura esta fortemente ligada aos cultos de religiões de matriz
africanas, tais como o candomblé, umbanda e quimbanda e suas vertentes
brasileiras. Sempre associado com feiçaria, São Cipriano não é considerado um
patrono ou jamais foi canonizado pela igreja católica, limitando seus feitos ao
marrio e nem existe um dia oficial no calendário cristão para sua celebração, o que
não impediu os devotos pracantes da Wicca de o nomearem como patrono dos
bruxos, feiceiros e magos, é celebrado dia 2 de outubro.
A E.S.M Fogo no Rabo, escolheu esta figura religiosa para que todos conheçam
sua história e seus feitos. Conhecimento é a mensagem principal da vida de São
Cipriano e esperamos que todos apreciem e conheçam um pouco mais desta figura
míca direto do Reino da Magia
Adriana Ferrey
1º setor _ Abordar o nascimento de Cipriano e as forças míscas que regeram a sua
chegada ao mundo.
2º setor _ Retrata as viagens e busca de conhecimento do jovem Cipriano
3º setor _ Mostra sua transformação no lendário bruxo, através de forças malignas.
4º setor _ Apresenta a história de conversão de Cipriano.
5º setor (final)_ mostra a devoção ao santo-mago e sua cultuação em várias religiões 
/




Escute o Samba

Autor: Almir da Ilha e Franco
Escola: União da Ilha 1994 (abracadabra - O Despertar dos Mágicos)
Eu vou "zoar" nessa avenida
Meu samba da cartola vai rolar
E na luz da estrela-guia
Minha alegria vem nas ondas desse mar!
(Desse mar!... Desse mar!)
Meu fogo veio te acender
E o ouro fez o chão brilhar
Mago do mundo! Mágico mundo!
Que vem girando sem parar
É vida! É sorte! É fé
É figa da Guiné! (bis)
Roda baiana que esse povo tem axé
Meu sonho... Energia em verso
Porta do universo que Deus abrirá
E meu amanhã é paz e amor
Da "nova era" que virá
Eu sou um sonhador, sou ilusão
Que tá dentro do teu coração! (Amor! Amor!)
Amor! A noite brilha!
A magia encanta a cidade (bis)
Amor! Que maravilha!
A Ilha dando um banho de felicidade

/

Livro