CARNAVAL DE MAQUETE


           

   

Grêmio Recreativo Escola de Samba de Maquete

Império Trirriense


Uma viagem imperial as essências do mundo


Carnavalesco : Comissão de Carnaval
Samba utilizado(Escola/Ano) : Bom Das Bocas - 2016
Interpréte : Zé Bola e Rodriguinho

SINOPSE


Autor(es) : Lucas Almeida


Uma viagem imperial as essências do mundo

Autor: Lucas Almeida


Nossa viagem perfumada passa pelos quatro cantos do mundo, teve seu início no Egito onde era venerado e usado para adorar os deuses, ou para o deleite das mulheres do antigo Egito como Cleópatra que adorava se perfumar ou também no ritual de embalsamação dos faraós.
Também passa pelos gregos e romanos que aperfeiçoaram juntando óleos perfumados com flores, onde se teve o primeiro grande marco da história do perfume, os árabes especialistas em especiarias que fizeram grande evolução com o método de destilação e dos instrumentos para fazer a serpentina e do alambique para posteriormente o uso do álcool como base para todo perfume.
Em fim o perfume chega a Europa onde os europeus tomaram gosto durante a idade média em inúmeros tratamentos terapêuticos e medicinais como o uso do alecrim nas fumigações contra a peste negra, os italianos, franceses e espanhóis usavam os perfumes substituindo, literalmente a higiene pessoal.
Na França em especial, a corte de Luiz XV ganhou destaque pela quantidade de perfume usado nas roupas e mobílias, tanto que foi batizada de "a corte perfumada".
As navegações rumo a Ásia para comercialização fizeram que o continente tomasse bastante destaque na história do perfume pelos seus diferentes usos em cada parte do continente asiático, na China e no Japão eram usados para pulverizar os quimonos, usados em saquinhos amarrados no pescoço ou na forma de incensos perfumados, na índia o uso era estritamente religioso, mas depois acabou sendo usado em banho perfumados e óleos em rituais de casamento, funerais também era usado pelas mulheres e incensos para purificar as casas e templos, e com o tempo foram comercializados para todo o mundo.
Em 1500, Pedro Álvares Cabral em uma de suas viagens as índias desembarcou em terras tupiniquins onde encontros o povo que vivia aqui, os indígenas usavam flores e plantas maceradas para se pintar e fazer suas essências, algumas usadas pelos Pajés em rituais indígenas. Com o tempo português foram explorando (literalmente) e aprendendo com o nosso povo nativo até a chegada dos negros arrancados de suas terras natais na África trazendo com eles seus conhecimentos e suas ervas medicinais e aromáticas, o uso mais famoso e a agua de cheiro utilizada até hoje na tradicional Lavagem do Bonfim em Salvador na Bahia e também em vários rituais das religiões afro, depois dessa super miscigenação o perfume foi ganhando cheiros e essências diferentes, muitas delas vem da maior floresta do mundo, a Amazônia, da qual devemos cuidar e preservar pois nossa biodiversidade nos da fragrâncias maravilhosos que devemos cuidar e preservar.


Escute o Samba

Um doce perfume me leva
Me leva a viajar
Das nuvens que defumam o Egito
O aroma vem purificar
Adorações de fé
Os deuses irradiam paz
Vem da rainha a doçura do seu cheiro
Seduziu um nobre coração guerreiro

Se joga e vem, deixa acontecer
Na arte emanam mais puro prazer
Luxo e requinte pra se perfumar
Um presente grego pra qualquer brindar

Na transição pelo tempo
A modernidade encontrou
Merci Beaucoup, au revoir
A
corte se perfumou
Novas
fragrâncias chegaram
Com a realeza d

e Portugal
Vem se banhar de Jasmim
Ou pra lavar o Bonfim
Espantar o mau
Usar, saber, sustentar
Pra Amazônia cuidar
Berço, da perfumaria nacional

Tem cheiro de samba no ar, amor
Se a Furiosa tocar, eu vou
Essas essências, me inebria
Meu Bom Das Bocas exalando alegria