CARNAVAL DE MAQUETE


               

   

Grêmio Recreativo Escola de Samba de Maquete

Guerreiros da Liberdade


E AS TREVAS SE FEZ LUZ!


Carnavalesco : Romulo Avelar
Samba utilizado(Escola/Ano) : Protegidos da Princesa Isabel 2012
Interpréte : Fábio Ananias

SINOPSE


Autor(es) : Romulo William Avelar

IMG-20180516-WA0006


E AS TREVAS SE FEZ LUZ!

Autor: Romulo William Avelar

 

Introdução do Enredo

Se grandes são as trevas que se abatem sobre nossos espíritos, maiores ainda são as nossas ânsias por luz.

Leonardo Boff

Trevas – Conjunto de escuridão, falta de luz, breu e caos total. Ignorância ou castigo eterno. Obscuridade.

Luz- O que ilumina o espirito, brilho e fulgor. Criar, viver. Realização do bem e a busca pela Paz.

Luz e trevas uma moeda de dois lados que deveriam ser os opostos, mas na maioria das vezes cruzam os caminhos e andam lado a lado.

 

Justificativa do Enredo

Luz e trevas seria o mesmo que bem e mal, a luta incessante que nunca acaba e o final todos conhecem, o bem sempre vence!

E é nessa finalidade que a Guerreiros da Liberdade apresenta o seu carnaval 2019, fazendo o seu desfile de uma forma diferente, ou seja, a proposta é mostrar os dois lados da moeda, entre as trevas e a luz, em outras palavras a ligação entre as duas.

Sendo a luz em repostas a trevas e não a briga incansável entre o bem e o mal.

 

Leitura do Enredo

O presente enredo tem duas estruturações de desfile, formando um parâmetro diferente chamados de partes.

Na primeira parte teremos o mundo sombrio das trevas com seus mistérios e escuridão. Em um “rasgo de mudança” no meio do desfile veremos a segunda parte do desfile mostrando carinhosamente a luz.

Em determinados momentos os formatos das alas vêm em cenas e/ou atos dando clareza e explicação ao proposto apresentado.

 

Sinopse do Enredo

Primeira Parte: As Trevas

Medo e caos é as trevas horripilante que tomam e sugam as vidas de todos aqueles que vivem na miséria e na escuridão do mal.

Trevas é o sinônimo de destruição, maldade e crueldade de um abismo profundo de quem tem o coração amargurado de ódio e raiva, andar nas trevas é viver sem luz, é o pior castigo da escuridão.

Morte, inferno, pecado e ignorância o súbito poder de viver no isolamento da chama negra do que é errado.

Trevas é a igualdade do nada, um mundo perdido no breu considerado o obscuro do inconsciente.

Viver nas trevas é usufruir da guerra, violência e destruição.

Inferno o lugar atormentado e criado para punições, pois quem morre no pecado vai para o inferno.

 

Segunda Parte: A Luz

Luz é claridade do dia, iluminação da natureza, o nascimento da vida.

Luz é a grandeza infinita dos mistérios da criação de fazer o bem ilustrando a vida em colorido de harmonia.

Luz o preceito conhecido como fé, a razão na qual Deus opera e ilumina o espirito humano de bondade.

A busca pela paz, por um mundo recheado de alegria e amor.

Paz a tranquilidade e o equilíbrio sereno do todos pela ferrenha busca de conforto mundial da humanidade.

Céu a expressão de mundo maravilhado e carregado do poder purificado mantido como a gloria e perdão, o estado de harmonia e bênçãos.

 

Estrutura do Enredo

O roteiro de desfile consiste em duas partes já no início do desfile veremos a escuridão das trevas; no meio do desfile a mudança radical de trevas para luz; e o final a resposta da luz para trevas em tons de paz.

O enredo somente será dividido em partes para se ter uma melhor explicação dos temas em seu fio condutor, porém os setores mesmo que seja dentro da primeira ou segunda parte serão indicados em ordem numérica, para não quebrar a ideia expressada.

 

Primeira Parte: As Trevas

A escuridão maléfica obstinada a maldade e crueldade.

 

Primeiro Setor: A sombra da escuridão

No primeiro setor de desfile a escola retrará as trevas, a cor preto faz o uso da roteirização.

Nesse primeiro setor temos os príncipes das trevas rodeados por seus guardiões destilando medo e rancor ao mundo.

Apresentamos por assim a escuridão das trevas, a imensidão da neblina negra que é acompanhada pelo medo, tormenta e crueldade.

 

Segundo Setor: A Neblina da Infinita Trevas

E o começo que vira fim: a Morte.

Nas trevas temos a magia e as feitiçarias fazendo o uso do sobrenatural macabro, para se darem bem, usam se espíritos e forças malignas.

Saboreia-se do pecado, considerado o elo para destruição da humidade.

Assim como a profecia bíblica dos quatros cavaleiros do apocalipse anunciando a peste, fome, guerra e morte.

 

Terceiro Setor: As Trevas da Humanidade

O terror toma conta de um povo, um povo que em meio século XXI sofre com ódio, a diferença, a criminalidade, violência, abusos, injustiças, preconceitos e intolerância.

Essas são as verdadeiras trevas, a escuridão de pessoas sendo massacradas, vivendo com medo da vida, o choro no coração que não se pode fazer nada.

A angustia que procura por liberdade e a procura sempre é levada ao mais profundo abismo de uma sociedade mesquinha e cheia de ódio.

 

Quarto Setor: O Equilíbrio Entre o bem e o mal

A primeira parte do enredo acaba no inferno, no fogo que destrói e queima, junto ao Diabo, pois o único destino de todos que vivem nas trevas é o inferno.

E no meio dessa batalha surge o Céu a chama do branco que faz reviver a pureza da vida, onde o enredo inicia-se a segunda parte.

É o equilíbrio entre o bem e o mal as duas faces da vida que andam lado a lado.

 

Segunda Parte: A Luz

O caminho que se conquista para paz eterna.

 

Quinto Setor: A Luz da Vida

A vida é o maior dom que temos e será que agradecemos por isso?

Neste quinto setor a ideia é expressar a vida, seja ela na natureza, na fauna e flora, e podermos refletir o quão belo presente a vida nos dá através de quatros elementos água, terra, fogo e ar.

São as luzes da vida.

 

Sexto Setor: A Luz da Humanidade e a Paz Universal

O branco é a Paz, ainda existe amor, esperança, amizade.

É fazer a Justiça de Oxalá e ter as forças em busca da luz rumo ao caminho da PAZ.

Nesse sexto setor apresentamos a tão sonhada paz mundial, para um mundo melhor, bem como a resposta do terceiro setor, onde aqui todos podemos expressar nossas vontades e escolhas.

A escola Guerreiros da Liberdade faz um grande pedido; um pedido por mais união e paz; um pedido de PAZ NA SIRIA.

 


Escute o Samba


A protegidos é minha vida
Sacode bateria faz a massa delirar
Sou um guerreiro do teu pavilhão
Declaro a Novo Hamburgo
Meu amor, minha paixão

Epopéia
Terra onde o índio era o guardião
O negro derramou o seu suor
Germinando o progresso nesse chão (e da Europa...)

Imigrantes colonizadores
Trouxeram na bagagem vocações
Santuário de beleza singular
Saga de conquista a prosperar

Hoje...
Capital nacional do calçado
Iluminado o teu legado
Que nos faz cantar
Hoje...
Nessa avenida o sonho se torna real
Encanta o nosso carnaval

No embalo do trem... Eu vou
Cair no samba com a minha tricolor
Indústria, comércio e educação
Fenac, orgulho desse chão

Arquitetura conserva a memória
Relíquia da história
Raiz e esplendor
Do vale dos sinos a todo Brasil
No mundo reconhece o teu valor
“Nóia”... Carinhosamente eu te chamo amor
Entre a serra e o mar um povo lutador
O lugar dos sonhos para se viver
São 40 anos da mais linda união
Que faz pulsar meu coração


Composição: Fábio Castilhos / Jailson Barbosa / Vinicius De Souza ·