CARNAVAL DE MAQUETE
U E S M

G.R.E.S.M.

Acadêmicos do Sábia


Mitos, Medos e Mistérios


Carnavalesco : Fabrício Ednardo
Samba utilizado(Escola/Ano) : Morro da casa Verde 2014
Interpréte : Adeílton

SINOPSE


Autor(es) : Moisés Oliveira

Image and video hosting by TinyPic


Vamos abrir nosso desfile contando histórias do baú sobre medo, mitos e mistérios do mundo todo.

O medo é uma sensação que proporciona um estado de alerta demostrado pelo receio de fazer alguma coisa geralmente por se sentir ameaçado. Alguns medos podem se tornar fobia, que causa sofrimentos psicológico. Algumas fobias são: medo de altura(acrofobia), medo de aranha(aracnofobia), medo de lugares fechados, elevadores e avião (claustrofobia), medo de palhaço (coulrofobia), medo de escuro (escotofobia), entre outros.

O Mito é uma narrativa simbólica, relacionado a uma dada cultura que procura explica os fatos da realidade, fenômenos da natureza, a origem do mundo e do homem, os mitos se utilizam de muita simbologia, personagens sobrenaturais, deuses e heróis, alguns bem conhecidos como mula sem cabeça, lobisomem, sereia, vampiros, dragões, bruxas entre outros.

O Mistério é algo secreto, escondido de significado ou causa oculta uma causa que ocorre e não se tem conhecimento, algo que não se pode explicar como ,se existe vida fora da terra, como fizeram as estátuas Moais ou monumento de Stonehenge, o Calendário Maia, mistérios religiosos entre outros.


Escute o Samba

Compositores: Celsinho, Léo Reis, Thiago SP, Anderson Lagrilinha, Caíque da Mangueira, Jorge Chocolate, Marquinhos, Godoy e Felipe
Intérprete: Adeílton
Se te assustei, desculpe
O meu batuque é mesmo de arrepiar
Morro de amor, sou casa verde
Até defunto se levanta pra sambar

É o medo na pista
Hoje o bicho vai pegar!
No jardim do éden foi aquela confusão
Serpente falou, Eva se convenceu
E a maçã o Adão mordeu!
Foi deus quem avisou e não quiseram obedecer
Aborrecido, o poderoso... Pôs todo mundo pra correr
Pecado nasceu e a tentação prevaleceu
No Egito o homem tentou, mas não se imortalizou
Pelas chamas das fogueiras
Desfilaram "pecadores"
O inferno mostra seus horrores

"Cruz credo, "creem" Deus pai, saravá!
Desse jeito a fobia vai pegar
Violência, imposto, muita amolação
Tanto risco e nenhuma proteção!

Olha o boi, boi da cara preta
Quem é o do morro não tem medo de careta!
Lá no sertão tem um ditado popular
Quem conta um conto aumenta um ponto
Vem cabra macho, o lobisomem, enfrentar
A loira fantasma eu vi

O homem do saco passou por aqui
Em cartaz no cinema suspense e terror
Gritos aflitos, tremendo pavor
Múmias formaram uma gangue
Vampiros em busca de sangue
Zumbis, por favor, tenham pena de mim
De tanto susto que levei
Quase enfartei!