CARNAVAL DE MAQUETE
U E S M

G.R.E.S.M.

Acadêmicos do Sábia


Sabiá canta o sertão e manda avisar... é a estrela Gonzaga que acabou de chegar


Carnavalesco : Fabrício Oliveira
Samba utilizado(Escola/Ano) : Unidos da Tijuca 2012
Interpréte : *

SINOPSE


Autor(es) : *

Image and video hosting by TinyPic


Traz a sanfona porque a festa vai começar!

Abre e fecha esse fole que a comitiva vai chegar

A Avenida é a estrada que leva sertão adentro

E ninguém que aqui está esquecerá esse momento.

De lembrar que, em noite de estrela, nasceu um rei no sertão

Que virou majestade de tanto ensinar o baião

Andando e cantando a história de seu povo

Cem anos depois, ele vai ser coroado de novo.

Convidamos a realeza para mostrar que desde menino

Luiz Gonzaga, o Lua, já tinha de astro o destino

Mostrava o sorriso e a alegria, cantava e dava lição

Mas lá no fundo guardava saudade no coração.

No mercado, montam a banca e é bonito de se ver

E de tudo que há no mundo, nele tem para vender

Cores, cheiros, sabores da cultura nordestina

Lá se compra toda a sorte dessa vida

Mas pra conhecer o sertão, é preciso ter coragem

Atravessar a caatinga, seguir em frente à viagem

Pedir benção, rezar com fé, ser beato, ser romeiro

E reunir com toda a tropa, lá na Missa do Vaqueiro.

Andar pela margem pra ver a vida que brota dos rios

O Velho Chico crescendo, com água que vem dos baixios

A cana, os frutos, o gado, o canto do passarinho

Cantar a saudade do rei, desse tempo de

Que cada afluente que corre do Velho Chico é um braço

Desce pro sul até ver carrancas que trazem a sorte

A cara feia que espanta não deixa ter medo.

Que as festas já começaram, tem "arraiá", tem quentão

São José foi ao plantio, na colheita é São João

A quadrilha já ta pronta, vai ter forró e baião.

E a sanfona anima o povo, todos vão se apresentar

Pra comitiva real, ao som do fole brincar

Bumba meu boi, maracatu, frevo, pagode e reisado

E tudo que precisar pra gente ficar animado.

A Sabiá Foi cantando pelo sertão e agora brinca e pra

Que a estrela de Gonzaga no céu descansa feliz.


Escute o Samba