CARNAVAL DE MAQUETE


                   

   

Grêmio Recreativo Escola de Samba de Maquete

Beija Flor de Campinas


Nos Portais da Encantaria


Carnavalesco : Pedro Yvo
Samba utilizado(Escola/Ano) : Inédito
Interpréte :

SINOPSE


Autor(es) : Pedro Yvo


Nos Portais da Encantaria

Rastros de dor e temeroso o sofrimento deixado pelas cruzadas cristã em Jerusalém. O Sultão Turco Toy Darsalam, recebendo uma grave notícia das batalhas, embarca suas únicas preciosidades para um reino amigo nas terras da Mauritânia na África, lá se foram elas as três princesas, Mariana, Herundina e Toya Jarina.
Antigos contam que as princesas nunca chegaram ao seu destino, pois ao percorrer o caminho em um imenso oceano a embarcação adentrou em um estreito chamado de Gibraltar, um portal levando as princesas pra Aruanda, o mundo das encantarias.
Lá ficaram presas centenas de anos, até atracarem na foz do rio Amazonas na ilha de Joanes, lá foram recebidas por uma anciã, a velha Tapuia, que chorou tanto pelo rapto de sua família pelos brancos invasores, que se transformou em pororoca, levando as princesas com sua grande força até a ilha de Parintins.
Lá Herundina em um ritual de boas vindas foi ajuremada em uma guerreira das matas, uma índia guerreira poderosa Cunha. Na ilha criaram o tambor de mina, uma perfeita união entre índios e negros trazidos para escravidão no Brasil.
De Parintins as princesas seguiram viagem para o Maranhão, lá sendo recebidas por Dom Sebastião, Toya Jarina ajuremou na encantaria da Ilha dos Lençóis, Mariana não aceitando o destino se jogou nas águas do mar, em sua vez despertou sua encantaria e se ajuremou em arara azul, nela foi depositada toda força que existe na Amazônia e o poder do negro do tambor de mina.
Juntas as princesas protegem toda Amazônia e sua força cultural vinda do Maranhão do grã Pará, fortalece assim uma expressão de fé e cultura, tambor de mina tambor que bate na Beija Flor evocando Xapanã-omolu que pede a Nanã como raios no céu para abrir os portais da encantarias para toda comunidade campineira entrar no reino das encantarias e festejar com Surrupia, Rei Turquia, Caboclos da Mata, Índios Flecheiros, Exus Guerreiros e Vuduns Feiticeiros.
A Beija flor ajurema em toda corte do Reino de Aruanda, batendo o tambor para todas entidades proteger toda cultura e expressão religiosa.
Bate tambor beija flor vamos festejar é carnaval vamos invocar a força encantada do Pierrô e Colombina que à dentro de cada um de vocês e jogar fora toda tristeza e discriminação religiosa e cultural, e foliar até o sol raiar.
Escute o Samba
Compositores: Pedro Yvo
Intérprete: Yvo E Menon


Vou ajuremar
Vou ajuremar lelele (2x)
Vou bater tambor
Bater na beija flor

Escaparam das cruzadas
Embarcaram a mãe África
E nunca chegaram lá
Atracaram em joanes
E a pororoca
As levaram a Parintins

Bate tambor
Herundina (2×)
Bate tambor
Cunha guerreira

Na corte de Dom Sebastião
Jarina serpenteia na praia dos lençóis
Mariana, se lança ao mar

Aruanda Omolu (2×)
Aruanda Nanã

Encantados
Abram os portais
E pierro e colombina
Desfilam neste carnaval