CARNAVAL DE MAQUETE
U E S M

G.R.E.S.M.

Mocidade Unida MASF


Deus não da asas à cobra


Carnavalesco : Marco Antonio
Samba utilizado(Escola/Ano) : próprio.
Interpréte : indefinido

SINOPSE


Autor(es) : Lukas Schultheiss

Image and video hosting by TinyPic


Deslumbrante, astuta, sábia, hipnótica… muitos são os adjetivos que as serpentes recebem devido às suas inúmeras características. Encantadoras para o bem ou para o mal é impossível que alguém não se comova ao estar na presença de uma delas. Alguns, certamente vão gelar de medo, outros vão correr; mas há sempre àqueles que as admiram e vão se aproximar, tocar e sentir sua temperatura gelada e sua pele diferenciada.

Cobras ou serpentes, que em nosso país são palavras usadas como sinônimos são répteis que não possuem patas, nem asas, mas têm o corpo coberto de escamas, a capacidade de abrir a boca em ângulos de quase cento e oitenta graus e de dilatar o estômago engolindo animais inteiros. Simbolizam a força vital, o renascimento, a renovação, a criação, a vida, a sensualidade, a dualidade, a luz, a escuridão, o mistério, a tentação, o engano, a morte, a traição e a destruição.

Misteriosa, é por muitas culturas associada tanto à imagem de Deus quanto do Demônio. Alguns afirmam que até mesmo o próprio Jesus Cristo reconheceu a conotação simbólica desse réptil quando disse: “Sede prudentes como a serpente.” Mas, cauteloso em sua sabedoria, Deus não dá asas à cobra e nem a ensina a voar, para o equilíbrio não se quebrar.

A Serpente na Religião e no misticismo

Um dos episódios mais conhecidos da Bíblia Cristã recai sobre o mito da TENTAÇÃO: o momento em que Eva, instigada a desobedecer uma ordem de Deus, influenciada por Satã disfarçado de serpente, comete junto à Adão o PECADO ORIGINAL e renuncia ao paraíso. A partir desse momento, a serpente é vista, no cristianismo como um animal traidor, calculista e do submundo, associado ao demônio.

Na Umbanda, a serpente é associada à Oxumaré, Orixá que rege a renovação. Para saudar Oxumaré se diz: “Arroboboi!” ou “Orobobô!” A ele está associada a imagem do OROBORO, a serpente que morde a própria cauda formando uma circunferência, símbolo da continuidade, da ETERNIDADE. Muitas vezes, esse símbolo antigo está associado à criação do Universo.

No Hinduísmo, está também associada à Kundalini, ENERGIA VITAL E SEXUAL situada na base da coluna e que, se despertada, pode fluir pelo corpo do homem através da espinha dorsal, em forma de uma serpente. Seu coração entra em contato com seu Eu Superior e a Consciência Cósmica. Também remete às divindades Shiva, Vishnu e Ganesha.

No Xamanismo, significa transmutação, cura, regeneração, SABEDORIA, psiquismo, sensualidade. Como as cobras deixam para trás a sua pele, nós podemos deixar para trás as nossas ilusões e limitações, usarmos plenamente a nossa vitalidade e desejos para alcançar a totalidade.

No Budismo a cobra está associada às divindades e ao poder divino visto que o rei das cobras acolheu Buda. A serpente é representada com tronco humano e cauda de cobra e simboliza a chuva, a renovação e a FERTILIDADE.

No Horóscopo chinês, considerado um signo Yin (a terra, a escuridão, a noite, a lua), a serpente designa pessoas com personalidades criativas, bastante inteligentes, cautelosas, CALCULITAS e responsáveis, além de apresentarem grande sensualidade. Por outro lado, as pessoas regidas por esse signo podem ser demasiado misteriosas, inseguras e desconfiadas.

Ver uma serpente em sonho pode ser interpretado como um anúncio de uma etapa de enfrentamentos de DIFICULDADES. Talvez você passe por experiências que possam parecer desagradáveis, mas que no final resultarão em uma solução de luz e uma sabedoria que dificilmente você conquistaria de maneira tão rápida.

A Serpente na História e na Mitologia

Há muito tempo este animal representa o emblema do poder, da força energética e da sabedoria em diversas povos. Aparece na COROA DOS FARAÓS EGÍPCIOS e demais impérios do passado, representa o Eu Inferior Oculto, que é a mente subconsciente ou inconsciente.

Na mitologia greco-romana há muitas lendas associadas às serpentes, com destaque para o MITO DE LAOCOONTE, personagem épico da Guerra de Troia, sacerdote de Apolo, deus do Olimpo, que o desobedece, e como punição, Apolo envia duas grandes serpentes a fim de mata-lo. No mito de Hércules, herói da mitologia grega, ele combate a HIDRA DE LERNA, animal com corpo de dragão e nove cabeças de serpente. Quem não se lembra de MEDUSA, cujos cabelos são serpentes com presas afiadas?

Na mitologia nórdica, Jormungand é conhecido como a SERPENTE DE MIDGARD, filho de Loki, Deus gigante do fogo, da trapaça, da magia, e de Angurboda, deusa do medo; Odin, Deus da sabedoria e da guerra, rapta seus três filhos (Fenrir, Jormungard e Hel), de modo que lança Jormungand no oceano e, desde então adquire uma forma figurada numa gigante serpente que envolve todo o mundo e também engole sua própria cauda, como “Ouroborus”.

Para os astecas e os toltecas, povos mesoamericanos, a imagem de Quetzálcoatl é representada por uma serpente com penas, conhecida como a SERPENTE EMPLUMADA a divindade mais importante, do elemento água, da vida e da renovação. Além disso, representa o alimento físico e espiritual, a morte e a ressurreição.

A Serpente na simbologia

Apesar de ser associada ao mal, à morte e escuridão… considerado um animal misterioso, traiçoeiro e venenoso, a serpente é um símbolo muito rico em diversas culturas e, por outro lado, pode representar o REJUVENESCIMENTO, a RENOVAÇÃO, a VIDA, a ETERNIDADE e a SABEDORIA.

Os simbolismos positivos da serpente podem ser vistos quando interligada com a Árvore da Vida. Representa bondade, também associada com o renascimento, com poderes curativos e regenerativos. O processo da troca de pele e esse é um evento que desperta a curiosidade. Essa característica possibilita associá-la ao REJUVENESCIMENTO, algo muito desejado pelo homem em todos os tempos.

É importante observar que o VENENO DA SERPENTE, embora sempre tóxico, é útil à produção de vários tipos de remédios, inclusive para o soro que cura da própria picada.

O deus greco-romano da medicina, Esculápio ou Asclépio, é representado por um bastão onde uma cobra entrelaçada simboliza o renascimento e a fertilidade, do qual resulta o SÍMBOLO DA MEDICINA. Por sua vez, a cobra também está presente no SÍMBOLO DA ENFERMAGEM, VETERINÁRIA, FISIOTERAPIA. Este símbolo é conhecido como caduceu, símbolo astrológico ligado ao deus grego Hermes, que com frequência, é encontrado como representação da Medicina.

Essa ideia surge a partir do século VII quando o CADUCEU associou-se à alquimia, de forma que permanece até hoje como um símbolo representativo da prática farmacêutica e, em decorrência, da medicina.

O Caduceu representa também outra área da ciência, as CIÊNCIAS CONTÁBEIS, em virtude de o deus Hermes ser também o deus do comércio e do lucro obtido nos negócios.

Unido à Flor de Lis e às asas, o Caduceu torna-se também símbolo da PEDAGOGIA. E representa o poder do profissional, a capacidade de trazer mudanças. As asas revelam o equilíbrio dessa transformação, bem como a qualidade do pedagogo, que deve ser ágil e disponível. As serpentes entrelaçadas em torno do bastão, por sua vez, representam conhecimento e sabedoria.

Já no símbolo da FARMÁCIA, uma taça entrelaçada por uma serpente representa a profissional do farmacêutico. Enquanto a taça representa a cura, a serpente representa a ciência, bem como o renascimento ou a cicatrização em oposição ao veneno.

Um dos símbolos mais famosos utilizando as serpentes no Brasil veio em temos de Guerra.

A Força Expedicionária Brasileira, conhecida pela sigla FEB, é considerada o conjunto de todas as forças militares brasileiras que participaram da Campanha da Itália na Segunda Guerra Mundial. Adotou como lema “A cobra está fumando”, em alusão ao que se dizia à época que seria “Mais fácil uma cobra fumar cachimbo do que o Brasil participar da guerra na Europa”.

A serpente na Cultura

As serpentes também são consideradas símbolo do ENCANTAMENTO. Em diversas partes do mundo, os “encantadores de serpentes” colocam urina de rato em suas flautas para que elas fiquem em posição de ataque e assim, façam parte de seus shows ao ar livre, que atraem dezenas de pessoas.

Em países com cultura árabe, também é comum que mulheres dancem com cobras para “enfeitiçar” os homens que ficam fascinados ao ver a DANÇA DAS COBRAS em meio a demonstração de habilidade e coragem feminina.

A Cobra-Grade, Boitatá, Boiuna e tantas outras fazem parte do FOLCLORE BRASILEIRO, compondo mitos etiológicos também relacionados com a indicação de tesouros ocultos, a proteção das florestas, contra incêndios e de rios, contra a degradação.

As SERPENTE DO MAR são criaturas gigantes que fazem parte do imaginário de diversos povos. Seriam monstros do mar, tais como o Leviathan e as diversas lendas contadas durante o período das Grandes Navegações ou mesmo, monstros do lago, tais como o monstro do lago Ness.

A COBRA VAI FUMAR! Quem nunca ouviu esta expressão? Originada das Forças Expedicionárias Brasileiras tornou-se um bordão sempre que alguma coisa não está certa e alguém vai cobrar explicações.

As serpentes no carnaval

Assim como as empresas e as faculdades fazem no cotidiano, as agremiações carnavalescas buscam símbolos que possam lhes representar. Sejam eles, símbolos associados à nobreza, aos instrumentos utilizados pelas baterias, astros, plantas, flores e até mesmo animais que mais se assemelham à garra e altivez de seus componentes. E claro, a serpente não poderia ficar de fora. Uma das agremiações mais famosas a utilizar a serpente como símbolo vem do carnaval do Rio de Janeiro, a Caprichosos de Pilares, carrega em sua bandeira duas serpentes azuis enroladas pela calda.

No carnaval da União das Escolas de Samba de Maquete a primeira agremiação a utilizar a serpente em sua bandeira foi a Mocidade Unida Masf, a primeira escola de samba filiada à UESM e a primeira campeã do carnaval. No ano seguinte vieram a Unidos de São Vicente (afilhada da Masf e atual campeã do Grupo Especial) e Mocidade Louca de Pilares.

E é serpenteando pela rede virtual que a Masf convida a todos para brincar de carnaval festejando o grande símbolo da escola. Venham todos, sem medo, hoje quem comanda a festa é uma serpente que transmite emoção, alegria e muita diversão por onde passa. Venham serpentear com a MASF!


Escute o Samba