O Olhar de Cleópatra: Análise bem humorada dos enredos (Ep.1)

Raphael Khaleb24/09/2016 20h17

 UESM. Divulgação

Inhaiiiiiiiiiiiiii, gente maravilhosa, estou aqui, mais maravilhosa e mais soberana que a Nilopolitana. Meu bem, fui convidada para estrear uma coluna na UESM. Liga essa que eu sou musa eterna. Em virtude disso, resolvi fazer um apanhado dos enredos das escolas de samba do Grupo B. As 9 postulantes ao título de campeã. Vamos conhecer os enredos:

Carcará do Samba:
Valeu Zumbi…. meu amooooor…. Vocês acham que eu ia ficar realmente fora? Nunca. Paraibana, a Verde, Rosa e Branco de João Pessoa mandou sua comitiva real levar o convite até os meus aposentos reais. Sim gente…. Fui convidada para a “Festa no Quilombo” da Carcará do Samba… meu bem… e eu já estou aqui! Adoroooooo, vai ter Semba, vai ter tambor. Vai ter mulata angolana…. uaaaaaau…. essa festa da raça vai ser babadeira… e o velho Sobá contando historias…. da chegada do negro no Brasil.. história sofrida…. mistura multicor… que a própria Vila de Noel contou…e o Paraiso Recontou. A festa da raça traz um exemplar de Rainha Negra.. Amanda Mattos, como Rainha dessa festa…

Eu Não perco por nada nesse mundo….. a Não ser que? Hey… esperem, o que é aquilo no céu? É algo de outro mundo. Socorro estou sendo abduzidaaaaaa… até o próximo enredo… Tchau!

Coxa Bamba da Rainha
Monamuuuuuuu que lugar é esse? Perai… ouço vozes…. Ué? Estou de volta ao meu Egito? Como é isso? Olha, vem uma rainha. Rainha, de Coxa Bambas…. Ou as Coxas do um Engenho Bambo? Tah Kiridah! Eh ela, a Rainha Soberana, que vem contar a saga da História do Brasil sobre um olhar bem inusitado. Mulher? Transex? ET? Não sei, mas que essa “BENDITA BADERNA”, veio de longe, ah se veio. E tudo se deu inicio aqui no Egito, sim meu bem, nas minhas lindas terras onde naves espaciais pousaram (Oi?) e cumprimentaram de uma forma bem peculiar. Esses ETS, que trazem a Interação trazem a tecnologia como IPhone (oi?) IPod (Oi?) Ipad (oi?) entre outros.

Juro que estou já ficando maluquinha com tanto texto…. mas… De repente chegam novos habitantes naquele espaço. Portugueses? Não sei.. mas eles chegam cantando? “Oh, lá, lá, lá, lá, lá, lá oh. Não tem terror. Não tem caô”.  (OOOOOOOOOI?). E no trenzinho do amor, essa bendita baderna desenrola…. opa, nada disso, a “Bendita Baderna Ou, sobre como a civilização espacial invadiu o Egito, raptou portugueses, foi chamada de índio, criou a internet e fez surgir a Inês Brasil”. Vai desembarcar na Sapucaí de Maquete. Se vocês tiveram um faniquito ao ler essa crítica…. não perca esse Make Love na avenida, Monamu! Vc pode até não ir, mas “Me chama que eu vou”

Oi, Mandaram me chamar? Estou aqui o que é que há? Ah eh pra ir ate uma roda de samba? Ok… estou indo…. beijos Egipcios e até o próximo enredo.

Império de Forttaleza:
Meu amor, já cheguei nessa roda de samba para arrasar. Depois de uma Bela festa no Quilombo tinha q aprender o samba meu bem e ainda coloquei Inê Brasil para sambar junto comigo, no trenzinho do amor. E se para você sobrou o bagaço da laranja, para mim sobrou saudades… Quando falamos da Pérola Negra batemos cabeça e deixamos a divindade passar. “Jove”…. A Pérola mais rara, que deixou saudade. Jovelina com certeza é daquelas artistas que não merece só ficar nas pistas do Samba de Maquete e sim nas pistas da vida! Mulher de fibra e de raça, tratada de forma poética a linda Jovelina, seus encantos, amores devoções e sucessos.

“Por onde eu passo deixo saudade, Jovelina a Pérola Negra passou por Aqui.” Com certeza “Traduz-se na mais pura inspiração, Entre tantas composições.” Para “Uma cantora tão boa, Não tinha chegado a hora. Há de vir sempre uma nova canção, Sempre uma mensagem positiva.
Da Paulista Império de Forttaleza, uma escola conhecida da Liga, “Não se podia espera outra coisa, Pois de quem nunca desanimou. Não era ainda o tempo e para qualquer forma de tristeza E agora? Por onde passa, ela deixa saudade a FORTTALEZA do Samba passará por aqui, Deixando a sua mensagem!

Beijos Egipcios dessa que vos fala e agora me deem licença, pois vou jogar um pouquinho. Até o próximo enredo.
Acadêmicos do Litoral
Amor, onde já se viu, uma roda de samba sem um jogo? Onde já se viu uma roda de samba, sem o futebolinho? Ahhhhh monamu, a Acadêmicos do Litoral, a Amarelo, Dourado e Preto de Camacari (BA), vem a nossa sapucai para mostrar que sim, o Jogo esta presente na nossa vida. Quer apostar? Um xeque mate de alegria, eu, a grande dama do seu jogo esta disposta a subir no seu cavalo e derrubar a sua torre, onde se encontra o seu bispo a rezar… e nem adianta ser um peão para lutar para salvar o seu rei.

Um rei Preto ou branco? Não kiridah… quatro reis… quatro reinos… quatro representante, com suas rainhas e valetes. E nem mesmo o exercito fica de fora, Aposte as suas fichas pois a sorte esta lançada. Mesmo que seja nas cartas de Tarô. E numa rodinha de samba, por que não jogar uma sinuquinha? As crianças estão em casa já jogando no computador. Pac Man e Mario Bros. ou até mesmo Strret Fighter e Mortal Kombat. Rainha também entra no Jogo e jogando vamos conquistar. Vem que estamos a ponto de ganhar.? “Com a força da onça vamos virar este jogo”

– Corta! Vamos lá… mundo do Cinema…. Próximo enredo e Ação!

? continua na semana que vem.

 

uesm

Fundador Coordenador da UESM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *