CARNAVAL DE MAQUETE


                   

   

Grêmio Recreativo Escola de Samba de Maquete

Beija Flor de Campinas


Mãe do céu morena


Carnavalesco : Pedro Yvo
Samba utilizado(Escola/Ano) : Beija Flor de Campinas 2018 Inédito
Interpréte : Alexandre reis e Edson Andrade

SINOPSE


Autor(es) : Pedro yvo e colaboração de idéias Lukas Schulteiss


Autor: Pedro yvo e  colaboração de idéias Lukas Schulteiss

                                                   MÃE DO CÉU MORENA

Num mundo tão agitado, tão tecnológico e com tantas desavenças a Beija-Flor de Campinas segue no caminho da paz e traz para o Carnaval 2018 um ato de fé, um ato de união, um ato de comunhão com Deus através de uma das mais belas  histórias envolvendo a religião católica na América Latina. Mãe do Céu Morena, é a nossa louvação em forma de carnaval à Nossa Senhora de Guadalupe.

 

Fé é uma palavra forte que significa "confiança", "crença","credibilidade". É com ela que encontramos forças para enfrentar o dia a dia, é crendo nas palavras sagradas como fonte de sabedoria que alcançamos muitas vezes o que parece impossível. A fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não veem. Talvez nenhum outro componente da vida cristã seja mais importante do que a fé.

 

                                           O Primeiro Milagre – O índio, as rosas e o manto

 

Foi a fé que levou o asteca Juan Diego avistar uma aparição. Era manhã de sábado de 1531, quando um clarão de luz no céu desvendou a imagem da Virgem Santa. Ela tinha o sol no manto, a lua sob os pés, uma coroa de doze estrelas na cabeça e a cor morena e com suas palavras veio o pedido para que o asteca intercedesse junto ao Bispo a construção de um santuário para honra e glória do Senhor.

 

Após duas recusas do religioso que duvidava da aparição da Virgem à Juan Diego, solicitou um sinal, uma prova da veracidade do pedido. Mas, numa segunda aparição, ela fez brotar rosas em pleno inverno e pediu para que ele as levasse enroladas em seu manto para o Bispo. O índio cumpriu a ordem e ao abrir o manto com as rosas fez com que todos se prostraram, pois delas surgiu a imagem da Virgem estampada em seu manto.

 

O fato causou grande comoção em todo o povo mexicano. E pouco tempo depois foi construída uma grande Igreja no local indicado por Nossa Senhora e o manto de Juan Diego com a imagem de Nossa Senhora foi levado para ser venerado. Ela recebeu o nome de Guadalupe, que significa Perfeitíssima Virgem que esmaga a deusa de pedra e  se tornou o grande Santuário do México. A devoção a Nossa Senhora de Guadalupe se estendeu por toda América Latina.

 

                                                   O Segundo Milagre - Os Mistérios do Manto

 

Diversos estudos feitos no manto de Juan Diego, revelam que a pintura não foi feita por materiais existentes na natureza e nem fabricados pelo homem e mesmo sofrendo atentados, não foi afetada. Até mesmo a cena do primeiro milagre está estampada no manto: nos olhos de Nossa Senhora, dentro da Iris e da pupila, vê-se a cena em que o índio abre seu manto na sala do bispo, com todas as pessoas presentes na sala conforme foi descrito em documentos e pesquisas sobre a época. Tem uma família de um lado, o índio e o Bispo do outro. O olho reflete a luz como o olho humano.

 

E não param por aí, cada parte do manto tem um significado. O rosto moreno da virgem de Guadalupe, que representa a cor mestiça do povo latino, a túnica vermelho-pálido, antes, a cor do deus sol asteca, do sangue e da vida, e agora a cor do sangue do Redentor Jesus Cristo. O manto verde-azulado, antes a cor dos imperadores astecas, e agora é a cor da imperatriz do mundo; cor que sintetiza o Deus dos índios, masculino e feminino, e agora cor da Mãe do Deus-homem.  O sol que a envolve, simboliza a divindade do sol, eclipsada pela Mãe de Deus e a seu serviço.

 

A lua sob os pés e as estrelas no manto, é a reconciliação da natureza do sol da lua e das estrelas, depois de um longo conflito cósmico, como contam os astecas. O anjo sob a virgem, é o anunciador do novo sol, o Sol da justiça, Cristo, inaugurando assim uma nova era, a da fé e de graças.

 

As duas cruzes, a cristã, no pescoço, e a cruz solar indígena, sobre o ventre, simbolizando a harmonia da religião asteca com a fé cristã. O cinto marca a gravidez da Virgem, que se constata pela forma aumentada do abdômen, onde se destaca uma maior proeminência vertical que transversal. O cinto se localiza acima do ventre

 

Os registros de vida no quadro são frequentes, como os que mostram que no ventre da virem a batimentos cardíacos de um bebê, ainda a relatos de que confirmam que o quadro não foi pintado por mão humana é de que a imagem flutua sobre o manto com 3 mm de distância do manto, e apresenta uma temperatura de um corpo humano constante de 98,6 graus Fahrenheit. Um cientista ateu deixou cair acidentalmente ácido corrosivo sobre a imagem e nem se quer aconteceu um ferimento ao manto, um atentando também aconteceu sobre o santuário da virgem, explodiram uma bomba de nível atômico sobre o local e nada aconteceu com a imagem, e tudo a sua volta estava destruído.

 

 

                                                    O Terceiro (Milagre) Santuário em Campinas

No interior do Estado de São Paulo, Dom Rossi cardial, e filho da terra de Campinas cria por meio de sua fé e devoção a tão amada Casa de Deus, um Santuário em honra e glória à Nossa Senhora de Guadalupe. Aqui, as estrelas de seu manto, se refletem no povo que dedica suas vidas para o bem e o crescimento deste lugar de tantas glórias, como Benedito Martins, Alziro, Laura, Vani, Carlos, Doraci, Paulina, Ines, Claudinei, Ana, Regina Barbarini, Silvia Murata, Alzirinha, Wilson, Marcia, Sonia, Amilton, Isabel, Lurdinha, Doni, Nilsa, Renato e tantas outras.

 

Um dos momentos mais marcantes para dar mais ânimo à fé deste povo, aconteceu em 2003 durante a quadragésima primeira Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil a CNBB, com a celebração de elevação sa igreja como santuário. Foi ainda instalada uma relíquia de São Paulo Apostolo no local  em 2013 e a inauguração da imagem da Virgem e de Juan Diego com quase 3 metros de altura em 2016.

 

Hoje o Santuário entra em sintonia com o clamor de fé do Grêmio Recreativo Escola de Samba em Maquete Beija-Flor de Campinas e a Virgem de Guadalupe, declarada pela igreja como Padroeira da América Latina. Vamos todos nos unir nesta imensa procissão para adentrar na Casa de Deus, que acolhe todos os irmãos e é lugar de gente feliz e ofertar rosas a você, Mãe do Céu Morena.

 

 

 

 


Escute o Samba

Escola/ Ano: Beija Flor de Campinas 2018 Inédito
Compositores: Claudinho DVD e Alexandre Reis
Intérprete: Edson Andrade e Alexandre Reis

 

 

Mãe do céu morena

Campinas celebra a Paz

Nossa fé entra em cena

Com o amor em cartaz

Nosso Beija Flor iluminado

Canta hoje em oração

A perfeita, virgem Maria

Formando um elo de harmonia

Juntos nessa comunhão

 

Na íris a primeira provação

Reluz o encontro inusitado

O milagre consumado

Bela pintura sem explicação

 

Maria de Guadalupe

Mistérios teu manto traduz

Seduz com seus milagres.                      Bis

O índio enviado

Divino clarão de luz

 

A virgem pediu o santuário

O Bispo desconfiado

Relutou pra construção

O povo em comoção

Ergue o templo sagrado

E hoje louva em procissão

O Cardeal filho da terra

Pra Honra e Glória

Dos filhos teus

 

Santa milagreira

Irradia sua Luz

Seu manto, nossa bandeira

A vitória conduz.

 

 

 

 

 

Insira a letra do samba