Bafo do Tatu 2019

ENREDO: PROFECIAS METAMORFÓSICAS – ASSIM FALOU RAUZITO
Autores: CLAUDIO SAMPAIO ASSUNÇÃO

Eu nasci a dez mil anos atrás e já vi muita coisa neste mundão de meu Deus. Tão velho quanto as profecias, meu nome é Rauzito, baiano de Quenien, e abrindo o meu velho baú, vou contar essa história para vocês.
Nas cavernas, junto com os macacos, vi surgir esta arte metafísica. Fatos estão registrados nas pinturas rupestres e através de óleos aromáticos e uma estranha fumaça que subia das fendas em rochas, pessoas ganhavam o dom da visão do futuro. Eu vi a primeira Pitonisa de Delfos surgir, vi reis e imperadores, perguntarem ao Oráculo como deveriam viver, guerrear e comer. E depois o maluco, era eu!
No Egito, os sacerdotes dos faraós, tinham este dom. Esfinges e Pirâmides guardavam segredos que agora, somente eu sei. Mas aquilo era uma verdadeira Sociedade Alternativa. Uma mistura de culturas… Gregos, Romanos, Babilônicos, Hebreus, Egípcios… Tantas culturas, tantas fés que geravam lutas e guerras. E surge um profeta. Rebelando-se contra tudo e todos, leva seu povo a cruzar o mar Vermelho, em busca do Eldorado, a terra prometida. Moisés atravessou o mar , eu vi. Daí dizer que o mar se abriu são outros quinhentos.
Fui com ele, naquele disco voador, e na nova terra, vi nascer , milhares de anos depois outro profeta. Anunciando a vinda do Messias, me aliei àquela fé e junto com João Batista, vi a chegada do Homem! “Que luz é essa que vem vindo lá do céu?”, me perguntei e Jbatista me respondeu: É o Salvador!
Avisei a Jbatista, igual fiz com Lampião milhares de anos mais tarde, que ele perderia a cabeça. Não me escutou e deu no que deu. Com o filho do Homem tive a mesma conversa. Disse que o melhor que ele faria era deixar o Pai de lado e fugisse para morrer em paz. Mas me disse que aquela era a sua missão e me tocando no ombro ditou a minha. E antes de me crucificarem, confesso! Traí! E se eu não tivesse traído, estaria cercado de luz. Porém, o mundo não teria a marca sagrada da cruz do Salvador. E em um dia escuro, o vi ser crucificado. O amor nasceu e apenas trinta e três anos depois foi assassinado por nós e por nossos pecados.
Depois disto, viajei junto com João para a Ilha de Patmos e lá as profecias do Apocalipse foram a nós reveladas. Reveladas pelo Cordeiro, com a voz de muitas águas, sete espadas saindo da boca e colunas de fogo nos pés. Roupa branca e prateada e uma aureula iluminada no lugar do rosto. Sei quem é o Dragão que surgirá da montanha, a prostituta que leva o filho para o deserto. O significado dos setes selos. Vi a queda da Nova Babilônia. A partir destes relatos, muitos fundamentaram novas seitas e profetizaram o fim do mundo. Claro que entre elas surgiram os falsos profetas com ideias torpes de ambição, com igrejas invisíveis e anticristãs. Sobre o dia que a terra vai parar só eu sei como tudo isso vai acabar.
Um dos grandes profetas , foi Maomé, que caiu de joelhos ao ter a visão da Deusa pisando a lua crescente. Das palavras ditadas por ela, escreveu um livro sagrado. Vi surgir Meca e ao lado dele, uma nova fé que modificou o modo de pensar da humanidade.
Os anos se passam e começam perseguições e caçadas, por causa de um suposto fruto sagrado. Uma maça. Segredo que prefiro guardar. Como era astrólogo resolvi me esconder por uns séculos. Vi as bruxas queimando nas fogueiras santas por cometerem o sacrilégio de profetizarem sobre o futuro.
Os ciganos, povo místico, foi um dos que mais sofreu e tiveram que renegar crenças e rituais, assim como os judeus para poderem sobreviver a idade das trevas. Mas em segredo, liam as bolas de cristal e as cartas de Tarô, para prever os acontecimentos que estavam por vir.
Em Paris, na cidade de Notredame, conheci Michel. O ensinei a olhar para as estrelas, afinal, sou astrólogo e conheço a história do mundo do princípio ao fim. Tornou-se Nostradamus e escrevendo as Centúrias, baseado na posição de astros e luzes no céu, revelou os mistérios do futuro. Usava astrolábios, como eu, para observar as previsões no céu, mas tinha uma bacia plasmática verde de onde vinham informações sobre o futuro. Escreveu de forma tão clara, que não sei como os homens ainda não decifraram seus versos.
Destas, três profecias me marcaram: A primeira faz referência a Segunda guerra mundial e ao Nazismo. ( O primeiro do terceiro fará pior do que Nero, ele será também valente para derramar o sangue humano. Ele fará construir fornos. A prosperidade terá fim e este novo chefe será a causa de grandes escândalos), a segunda à guerra fria e ao Papa João XXIII e as orações que subiram aos céus para evitar uma nova guerra ( ). E a terceira, sobre um pássaro de fogo que riscaria a Nova Babilônia do mapa da Terra ( a . Profecias que sempre traziam mensagens de paz contra a guerra. Guerra que fazia o silêncio dos sinos da Igreja. Sinos que somente voltavam a dobrar pela redenção da paz.
Após este grande profeta, chegava a hora de eu assumir o meu lugar. E encarnei no Brasil ( O novo Aeon), pelas terras da Bahia em um homem chamado Raul Seixas. Fiz sucesso, e consegui nas letras e canções deste meu companheiro carnal, soltar minhas palavras proféticas. Me chamaram de Maluco Beleza nesta Ilha da Fantasia, onde tudo é felicidade, de Metamorfose Ambulante e fui perseguido pela censura, mas tal qual mosca na sopa em uma dentadura (ditadura) postiça. Voltei para incomodar e perturbar o sono daqueles que tentaram o meu povo calar.
Mas como mortal, chegava a hora de partir e prevendo minha passagem, embarquei no Trem das Sete Horas, depois da hora da Ave Maria, no dia 21 de agosto de 1989. Trem que não necessita passagem ou bagagem, e todos vão embarcar um dia.
Antes de voltar ao meu plano metafísico novamente, deixo quatro previsões para todos aqueles que tem ouvidos para ouvir: “Chegará o dia da volta do Homem! Ele virá deslizando no céu, entre brumas e nuvens de mil megatons”. Minha volta se dará trinta anos depois de minha partida com as bênçãos do profeta São João. “Quem quiser descobrir a chave dos segredos de todo o universo é só relembrar estas palavras e o número 26: “Pluct!, Plact! Zum!” Misturadas estas letras abrem esta chave”. E para todos aqueles que não veem uma saída para seus problemas e para a escuridão que envolve o país lembre-se: “ Não pense que a batalha está perdida, tenha fé em Deus, tenha fé na vida. Tente outra vez!
E se você não acredita em mim, lembre-se: “Eu sou astrólogo, nascido a dez mil anos atrás, e conheço histórias do início ao fim.”

uesm

Fundador Coordenador da UESM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *